Choro na volta às aulas: 3 estratégias para contornar esse momento

Choro na volta às aulas: 3 estratégias para contornar esse momento

O início de um novo ciclo escolar é marcado por um amplo espectro de sentimentos, que pode ir desde a expectativa otimista até o nervosismo e a ansiedade. E  o choro nas voltas às aulas está entre esses sentimentos, sobretudo entre as crianças menores.

Pensando nisso, aqui está um combo de 3 estratégias mais indicadas por especialistas em comportamento e que funcionam para tornar esse momento mais leve tanto para as crianças quanto para você. 

Compreendendo as raízes do choro na volta às aulas 

Antes, precisamos entender as raízes desse sentimento. Chorar é uma forma natural e saudável que as crianças pequenas usam para expressar uma variedade de sentimentos e necessidades. No contexto da adaptação escolar, o choro pode surgir por vários motivos, desde ansiedade e medo da separação até o sentimento de sobrecarga com uma nova rotina e ambiente. 

Dessa maneira, as principais razões por trás do choro na volta às aulas podem ser: 

  1. Ansiedade de separação: É comum em crianças pequenas sentir ansiedade ao serem separadas dos pais ou cuidadores, o que pode provocar lágrimas no momento da despedida.
  2. Ambiente desconhecido: Escolas e salas de aula novas podem parecer intimidadoras para uma criança, aumentando o medo do desconhecido e a insegurança, levando ao choro.
  3. Sobrecarga sensorial: As crianças são sensíveis a novos estímulos sensoriais, como sons altos, muitas pessoas e atividades. A sobrecarga pode ser expressa através de choro.
  4. Fadiga: O início do ano letivo pode alterar as rotinas de sono das crianças. O cansaço acumulado pode resultar em menos paciência e mais choro.
  5. Frustração e desamparo: Aprender habilidades novas ou lidar com situações desafiadoras no ambiente escolar podem deixar a criança frustrada e sentir-se desamparada, o que pode levar a choro como forma de expressão.

Lembrar desses fatores é fundamental para desenvolver estratégias empáticas e efetivas de apoio às crianças nesse período desafiador, reconhecendo que cada criança é única e pode reagir de maneira diferente às mudanças na sua rotina escolar.

Estratégia 1 contra o choro na volta às aulas: Rotina confortante

Quando as aulas reiniciam, uma mudança significativa na rotina das crianças pode desencadear momentos de ansiedade e choro. 

Desse modo, estabelecer uma rotina confortante pode ajudar os pequenos nessa transição. Essa estratégia envolve a criação de um ambiente previsível e seguro que acolha a criança antes e depois do período escolar, ou seja, ela sabe exatamente para o que a espera antes e depois da escola - e ela gosta.  Para isso tenha: 

  • Consistência: Mantenha horários consistentes para refeições, estudos, brincadeiras e descanso. A criança se sente mais segura quando sabe o que esperar do dia.
  • Rituais de despedida: Crie uma breve rotina de despedida que pode incluir um abraço, um beijo e palavras de incentivo. Isso transmite segurança e amor.
  • Envolvimento na preparação: Permita que a criança participe de forma ativa na preparação do material escolar e na escolha do uniforme. Isso pode aumentar seu entusiasmo e sensação de controle.
  • Diálogo aberto: Converse regularmente sobre a escola de forma positiva, mostrando interesse pelas atividades escolares e novas amizades.
  • Espaço para emoções: Ofereça espaço para que a criança expresse seus sentimentos e preocupações sobre o retorno às aulas. Validar seus sentimentos é importante para que se sintam ouvidas e amparadas.

Ao utilizar essa estratégia, é possível amenizar o estresse associado ao início do ano letivo e proporcionar uma transição mais amena para as crianças, reduzindo ocorrências de choro na volta às aulas. 

choro na volta as aulas - estrategia 1

Estratégia 2 contra o choro na volta às aulas: Técnicas de despedida e reencontro

Para crianças pequenas, especialmente em seus primeiros dias de escola, a despedida pode ser um momento angustiante, e que consequentemente, leva ao choro na volta às aulas.  

Diante disso, o ensino de técnicas de despedida e reencontro pode ajudar a tornar esse processo mais tranquilo e menos traumático. Busque: 

  • Criar  uma rotina de partida: Estabeleça um ritual de despedida consistente. Pode ser um beijo, um abraço, um aceno de mão ou um gesto especial entre a criança e o cuidador. Essa rotina previsível transmite segurança e ajuda a criança a entender que a separação é temporária.
  • Use objetos de transição: Permita que a criança leve um objeto de casa, como um brinquedo ou um lenço, algo que a reconforte na ausência dos pais.
  • Ensinar palavras de conforto: Ajude as crianças a memorizarem ou reconhecerem frases que possam ser reconfortantes, como “Mamãe sempre volta” ou “Papai te pega depois da aula”.
  • Prepare um reencontro caloroso: Assegure que o momento do reencontro seja positivo, com atenção plena dada à criança. Comemore o fim do dia escolar com um abraço e conversando sobre as experiências vividas.

Essas técnicas podem ser adaptadas conforme a necessidade e a personalidade de cada criança, auxiliando no fortalecimento da sua resiliência emocional e reduzindo a ansiedade de separação. 

É importante que os pais ou cuidadores também se mantenham calmos e confiantes durante esses momentos, pois as crianças frequentemente espelham as emoções dos adultos à sua volta. 

choro na volta às aulas

Estratégia 3: Incentivo à autonomia e resiliência

Incentivar a autonomia e resiliência em crianças é uma estratégia valiosa no gerenciamento do choro e da ansiedade durante o regresso à escola. 

Este processo exige consistência e paciência por parte dos pais e educadores, mas pode trazer benefícios significativos para o desenvolvimento emocional e a adaptação das crianças ao ambiente escolar.

  • Promova a autossuficiência: Encoraje as crianças a se responsabilizarem pelas suas próprias coisas, como a arrumação de materiais escolares e a preparação da lancheira. Isso as ajuda a desenvolver um sentido de competência e autoeficácia.
  • Reconhecimento das emoções: Ensine-as a reconhecer e nomear as próprias emoções, fornecendo ferramentas para que possam se acalmar. Técnicas de respiração e a identificação dos gatilhos emocionais são exemplos práticos disso.
  • Criação de rotinas: Estabeleça rotinas claras de manhã e à noite, que proporcionem previsibilidade e estrutura. As crianças que sabem o que esperar sentem-se mais seguras e menos ansiosas.
  • Resolução de problemas: Incentive-as a pensar em soluções para pequenos problemas. Por exemplo: Quando chora porque não encontra um item, oriente-a a pensar onde o deixou pela última vez ou onde seria o lugar lógico para procurar.
  • Elogios concretos: Reforce a independência com elogios específicos quando a criança supera um desafio ou enfrenta uma situação nova sem chorar.

Desse modo, promovendo a resiliência, os pequenos aprendem a lidar com as adversidades e frustrações de uma forma mais positiva e adaptável. 

Assim, ao invés de ceder imediatamente ao choro, eles começam a procurar estratégias para superar os obstáculos, o que é fundamental não apenas para a transição para a rotina escolar, mas para o sucesso em todas as áreas da vida.

O papel dos pais: Apoio emocional e consistência

No processo de adaptação das crianças à rotina escolar, o papel dos pais é fundamental para que o choro na volta às aulas não se torne um grande problema. 

Nesse contexto, o apoio emocional consistente é um dos pilares para ajudar os pequenos a superarem momentos de choro e angústia. Aqui estão algumas estratégias que os pais podem adotar:

  • Estabeleça uma rotina previsível: Crianças se sentem muito mais seguras com rotinas estabelecidas. Delinear uma série de atividades diárias, que incluam tempo para a escola, brincadeiras e relaxamento, pode ser reconfortante. 
  • Ouça com atenção: Quando uma criança chora ou expressa desconforto com relação à escola, é essencial que os pais ouçam ativamente. Permita que ela verbalize suas emoções sem julgamentos ou interrupções precipitadas.
  • Validação dos sentimentos: É importante validar os sentimentos da criança, reconhecendo que é normal sentir-se ansioso ou triste e reforçando que todos enfrentam dificuldades ao lidar com mudanças.
  • Reforço positivo: Encoraje a criança com palavras de afirmação pode elevar sua autoestima e ajudá-la a encarar desafios com maior confiança.
  • Presença física: Nos primeiros dias, principalmente, a presença dos pais no início e no final do dia proporciona sentimentos de segurança e apoio.
  • Consistência na comunicação: Mantenha uma comunicação aberta e consistente com a criança, falando sobre o dia escolar, amigos e aprendizados, ajuda a construir um ambiente de confiança e entendimento mútuo.

Ao implementar estas ações,  enfrentamos não somente choro na volta às aulas, mas também fortalecemos resiliência emocional dos nossos filhos. A chave está na combinação de apoio emocional e consistência comportamental.

Conclusão: fortalecendo vínculos e encorajando a independência

Amenizar o choro na volta às aulas não é fácil e não é este o nosso objetivo. O ponto aqui é dizer que com as estratégias certas, de forma consistente, em um espaço no qual a criança se sinta segura tanto para se expressar, quanto para estar, esse choro tente a diminuir, uma vez que ela se sentirá mais acolhida e, com o passar do tempo, mais calma e feliz. 

Começos são sempre delicados, e deixar os filhos pequenos nas escolhas traz angústias para os pais também,afinal, marca o fim de uma convivência diária e abre o início de um novo capítulo no qual a criança começa a trilhar sozinha o seu caminho. Por isso, é importante manter a calma e saber transmitir. São ciclos que se fecham e ciclos que se iniciam, exatamente como devem ser. 

Busquem, portanto, aproveitar cada nova experiência dessa nova etapa, fortalecendo os vínculos e encorajando o melhor que há em cada um! 

 

Como está a preparação para o ano escolar na sua casa? Conte pra gente nos comentários! 

** 

O Blog da SunKids é um espaço criado com muito afeto para trocarmos vivências sobre parentalidade, saúde, desenvolvimento infantil e muito mais! Comente aqui sua dica de tema, sugestão ou opinião! 

Leia também: 

Lista de material escolar: O que pode e o que não pode ser pedido? 

Óculos anti luz azul: Em defesa dos olhinhos 

Deixe um comentário

Obs: Os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados.

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.