Divertida Mente: 5 lições valiosas para crianças

Divertida Mente: 5 lições valiosas para crianças

Quando falamos sobre o desenvolvimento infantil, frequentemente destacamos a importância da educação e das habilidades cognitivas. 

No entanto, as emoções na infância têm um papel igualmente fundamental na formação de crianças saudáveis e felizes. Nós, enquanto pais, educadores ou simplesmente adultos responsáveis, devemos estar atentos ao impacto das emoções nas nossas crianças: 

  • Primeiramente, as emoções são a bússola que guia as crianças a entenderem o mundo à sua volta. Elas ajudam a decifrar situações sociais, a desenvolver empatia e a construir relacionamentos saudáveis.
  • Além disso, as emoções influenciam diretamente no aprendizado. Crianças que aprendem a lidar com suas emoções têm mais facilidade para se concentrar e absorver novas informações.
  • A inteligência emocional, habilidade de reconhecer, entender e gerenciar as próprias emoções, é essencial para enfrentar desafios e adversidades. Isso confere resiliência, qualidade indispensável para o bem-estar a longo prazo.

Compreender e valorizar as emoções desde cedo é fundamental para o desenvolvimento de uma saúde mental robusta.

O filme "Divertida Mente" (Disney, 2015), é um recurso lúdico que nos ajuda a ensinar às crianças sobre a complexidade e a relevância das emoções. 

Pois, ao acompanhar as aventuras de Alegria, Tristeza e companhia, as crianças aprendem que todas as emoções têm seu lugar e propósito, e que reconhecer e expressar o que sentem é parte importante do crescimento. 

Veja tudo que nossas crianças podem aprender com essa jornada emocionante.

Entendendo "Divertida Mente": Uma jornada emocional

Quando assistimos a este filme, somos imediatamente transportados para dentro da mente de Riley, uma garotinha que está passando por uma fase delicada de sua vida. 

Juntos, nos aventuramos pelo complexo sistema que é o cérebro humano, guiados por suas cinco emoções personificadas: Alegria, Tristeza, Medo, Raiva e Nojo.

  • A Alegria é a líder nata, buscando sempre manter Riley feliz, mas ao longo do filme, aprendemos que a felicidade não é definida apenas por momentos alegres.
  • A Tristeza se mostra essencial, pois indica que é necessário desacelerar e processar certas situações, e que está tudo bem em não estar sempre feliz.
  • O Medo protege Riley, mas também podemos ver como um excesso de medo pode ser limitante.
  • A Raiva aparece para defender e estabelecer limites, embora às vezes possa causar situações explosivas.
  • E o Nojo funciona como um mecanismo de defesa contra situações ou alimentos potencialmente prejudiciais.

Facilmente nos identificamos com a luta interna de Riley para equilibrar suas emoções, e percebemos o quanto cada sentimento tem sua importância e influência nas decisões diárias. Descobrimos que negar ou suprimir emoções pode levar ao desequilíbrio mental.

As memórias de Riley tomam forma como esferas coloridas, com cada cor representando uma emoção diferente. 

A passagem dessas memórias pelo "filtro" emocional de Riley nos ensina sobre a formação de lembranças a longo prazo e a importância das experiências na modelagem de nossa personalidade e percepção.

A animção é, portanto, é uma metáfora visual encantadora e tocante sobre como nossas emoções interagem e moldam a jornada da vida, ressaltando que a complexidade da mente humana é abrangente, mas compreensível e, incrivelmente, divertida de explorar.

 

Divertidamente

Lição 1: Todas as emoções são importantes

Quando assistimos ao filme, uma das primeiras coisas que nós, como espectadores, aprendemos é a importância de todas as emoções. 

É fácil pensar que algumas emoções, como alegria ou felicidade, são melhores do que outras, como tristeza ou raiva. No entanto, esse filme ensina-nos que cada emoção tem seu papel e valor:

  • A Alegria é como um brilho que nos motiva a aproveitar a vida e buscar o que nos faz felizes.
  • A Tristeza permite-nos expressar quando algo não está bem e pode nos ajudar a encontrar conforto e apoio.
  • A Raiva nos dá energia para enfrentar injustiças e pode ser uma força motivadora para a mudança.
  • O Nojo ajuda-nos a evitar coisas que poderiam ser prejudiciais ou desagradáveis.
  • O Medo protege-nos ao alertar-nos sobre perigos e preparar-nos para reagir em situações de risco.

Desse modo, cada uma dessas emoções ajuda a "Riley", a personagem principal do filme, a navegar pelos desafios da vida. 

Nesse sentido, podemos aprender com a Riley que suprimir nossas emoções, como tentar esconder nossa tristeza, pode causar mais problemas do que simplesmente expressá-las.

Afinal, são nossas respostas emocionais que nos ajudam a compreender melhor o mundo ao nosso redor e a reagir de forma apropriada a diferentes situações.

Portanto,  quando ensinamos aos nossos filhos que todas as emoções são válidas, estamos equipando-os com uma compreensão mais completa de si mesmos e dos outros. 

Estamos ensinando-lhes que está bem não estar sempre bem e que cada emoção pode ser explorada e entendida de maneira saudável e que assim, podemos cultivar uma relação mais equilibrada e compreensiva com nossas emoções. 

 

Lição 2: Emoções negativas também têm seu valor

Muitas vezes acreditamos que só deveríamos sentir alegria e felicidade, mas este filme nos mostra que nem sempre é assim. 

Vamos descobrir juntos por que as emoções como tristeza, raiva e medo também são importantes em nossas vidas: 

  • A tristeza pode nos parecer desagradável, mas é ela que muitas vezes nos faz perceber o que realmente importa para nós. Ela nos ajuda a valorizar os bons momentos e as pessoas que amamos. Quando a personagem Tristeza começa a influenciar as memórias da protagonista, vemos como esses momentos são essenciais para pedir ajuda e receber apoio.
  • Sentimos raiva quando algo não vai como gostaríamos ou quando nos sentimos injustiçados. Essa emoção nos dá energia para lutarmos por mudanças e defendermos o que é certo. A personagem Raiva nos mostra isso claramente ao lutar pelo bem-estar da protagonista.
  • O medo muitas vezes é visto negativamente, mas ele é crucial para nossa sobrevivência. Ele nos alerta para perigos e nos ajuda a estar preparados para enfrentá-los. No filme, o personagem Medo está sempre tentando proteger a protagonista, e isso é uma coisa boa.

Através do filme, aprendemos que todas as emoções têm seu lugar e são válidas. Elas não são nossas inimigas, mas sim, guias que nos ajudam a navegar pela complexidade da vida. 

Assim como os personagens do filme trabalham juntos pelo bem da protagonista, nossas emoções também podem colaborar para o nosso crescimento e bem-estar.

Quando entendemos e aceitamos todas as nossas emoções, podemos viver de forma mais completa e harmoniosa. 

Dessa forma, ao invés de ignorar ou reprimir nossas emoções negativas, devemos reconhecer a função que elas desempenham e aprender com elas.

 

Divertidamente

Lição 3: Equilíbrio emocional e saúde mental

No filme também aprendemos que todas as emoções são importantes, e o equilíbrio entre elas é essencial para a nossa saúde mental. 

Nós, muitas vezes, tentamos esconder ou reprimir nossos sentimentos, especialmente os considerados negativos, como a tristeza ou o medo. No entanto, o filme nos mostra que até mesmo essas emoções têm um papel importante em nossas vidas: 

  • Tristeza nos ajuda a processar perdas e a despertar empatia nos outros.
  • Medo nos mantém seguros, pois nos faz evitar situações perigosas.
  • Raiva pode nos dar a força para enfrentar injustiças.
  • Nojinho nos protege de coisas que podem ser prejudiciais à nossa saúde.
  • Alegria nos motiva e traz otimismo para as nossas vidas.

A chave é entender que não devemos nos apegar a apenas uma emoção e ignorar as outras.Ao reconhecermos e aceitarmos todas as nossas emoções, podemos alcançar um equilíbrio emocional. Isso não significa que seremos felizes o tempo todo, mas sim que seremos mais resilientes e capazes de lidar com desafios e adversidades.

Além disso, devemos nos lembrar que é saudável expressar nossas emoções e conversar sobre elas. 

Às vezes, podemos nos sentir sozinhos com nossos sentimentos, mas partilhá-los com alguém de confiança pode ser extremamente reconfortante e curativo.

Então, como podemos manter um equilíbrio emocional? Aqui estão algumas dicas:

  • Reconheça e nomeie suas emoções.
  • Permita-se sentir sem julgamento.
  • Busque atividades que promovam bem-estar emocional, como hobbies, exercícios físicos ou práticas de mindfulness.
  • Comunique seus sentimentos de maneira saudável.

Ao aplicarmos essas lições na nossa vida cotidiana, podemos melhorar nossa saúde mental e nosso bem-estar geral. 

Vamos lembrar sempre que esse espectro de emoções é o que nos torna humanos complexos e fascinantes! 

Divertidamente

Lição 4: A influência das emoções nas memórias

No filme, vemos que a alegria tenta manter todas as lembranças da Riley coloridas e felizes. Ainda que seja muito bonito, a realidade é um pouco mais complexa.

Primeiro, é importante entender que:

  • As emoções servem como uma espécie de "filtro" para as nossas lembranças.
    • Memórias carregadas de emoções fortes, como alegria ou tristeza, tendem a ser mais facilmente lembradas.
    • Nossas emoções atuais podem distorcer a forma como nos lembramos de eventos passados.

    Quando estamos alegres, por exemplo, tendemos a recordar outros momentos felizes.

    Da mesma forma, se estamos tristes, é mais comum nos lembrarmos de eventos mais melancólicos. 

    Isso acontece porque as emoções funcionam como uma lente que realça certas memórias e ofusca outras. Nossos cérebros tendem a priorizar memórias emocionais, já que elas têm um papel importante na nossa sobrevivência e adaptação social.

    Um aspecto curioso é que emoções negativas, como medo ou tristeza, muitas vezes causam um impacto mais forte e duradouro nas nossas memórias, o que ocorre por uma boa razão: a natureza quer que lembremos de experiências desagradáveis para evitarmos situações parecidas no futuro.

    Entender a influência das emoções sobre as memórias é fundamental para conhecermos melhor a nós mesmos. 

    Pois, quando reconhecemos esse poder, podemos aprender a gerir melhor nossas emoções e, por consequência, nossas memórias. Vamos continuar a jornada pelo mundo das emoções e descobrir juntos como elas moldam nossa mente.

    Divertidamente

    Lição 5: Crescendo através das experiências difíceis

    Todos enfrentamos momentos complicados na vida, e é natural sentir uma gama de emoções quando as coisas não vão bem e em “Divertida Mente",  isso não é diferente. 

    Acompanhamos a jornada da pequena Riley e percebemos como até as experiências desagradáveis são fundamentais para o nosso crescimento.

    • Primeiro, aprendemos que é totalmente normal sentir tristeza. A personagem Tristeza nos mostra que é saudável expressar quando estamos nos sentindo para baixo. Essa expressão pode nos ajudar a lidar com nossos problemas e a encontrar apoio nas pessoas ao nosso redor.
    • Também descobrimos que o enfrentamento de desafios pode levar ao desenvolvimento de novas habilidades. Quando passamos por momentos difíceis, somos obrigados a encontrar soluções criativas e a nos adaptar, o que acaba por nos tornar mais fortes e mais resilientes.
    • Enfrentar situações complicadas também pode ampliar a nossa empatia. Ao vivenciar tempos difíceis, nós nos tornamos mais sensíveis às lutas dos outros e podemos oferecer apoio e entendimento genuínos.
    • Finalmente, as experiências difíceis nos empurram para fora da nossa zona de conforto, o que é fundamental para o crescimento pessoal. Ao sermos postos à prova, somos forçados a revisar nossas perspectivas e valores, o que pode levar a mudanças profundas e positivas em nós mesmos.

    Vamos encarar os obstáculos como oportunidades para aprender e evoluir. Lembre-se que, assim como Riley, cada experiência, por mais difícil que seja, contribui de forma única para a construção de quem somos! 

    Como "Divertida Mente" pode ser uma ferramenta educativa para pais e educadores? 

    Quando assistimos a  este filme, nós estamos, na verdade, mergulhando em uma exploração colorida da psique humana. 

    Para pais e educadores, este filme se torna uma excelente ferramenta didática. Veja como podemos usá-lo para ensinar e orientar as crianças: 

    • Identificação e expressão de emoções: Nós podemos encorajar as crianças a reconhecer e nomear suas próprias emoções, assim como os personagens fazem no filme. Isso ajuda no desenvolvimento da inteligência emocional, uma habilidade essencial para o bem-estar.
    • Compreendendo a complexidade dos sentimentos: Podemos usar as cenas do filme para discutir como as emoções interagem entre si e como sentimentos complexos, como a bittersweetness, estão presentes na vida real.
    • Empatia e perspectiva: Ao ver os diferentes pontos de vista dos personagens, nós podemos ensinar as crianças sobre empatia e a importância de considerar as emoções alheias.
    • Consequências das ações:  O filme fornece uma oportunidade para discutirmos como nossas ações podem afetar nossos sentimentos e os sentimentos dos outros, reforçando a ideia de pensamento antes de agir.
    • O valor das memórias: Podemos conversar sobre a importância das memórias, felizes ou tristes, e como elas moldam quem somos.
    • Enfrentando mudanças: Ao acompanhar a jornada de Riley, podemos explicar às crianças que mudanças fazem parte da vida e que é normal sentir um turbilhão de emoções durante esses períodos.

    Dessa maneira, ao utilizarmos este filme como uma ferramenta educativa, nós não apenas facilitamos uma discussão importante sobre saúde mental e emocional, mas também abrimos um canal de comunicação com as crianças, tornando estas conversas mais acessíveis e menos intimidadoras.

    Em “Divertida Mente 2”, previsto para chegar aos cinemas brasileiros em junho de 2024, nós iremos conhecer novas emoções que acompanham a chegada da puberdade de Riley. 

    São elas: Inveja, Vergonha, Ansiedade e Tédio. Sem dúvidas, uma nova aventura emocional e emocionante imperdível nos espera.

     

    Divertidamente 2

     

    E, não se esqueça dos SunKids BlueFlex das crianças quando levá-los ao cinema. Afinal, desconforto e dores nos olhinhos são sensações que podemos evitar! 

     

    Leia também: 

    50 Opções de presentes para crianças 

    Será que é ansiedade infantil? Sintomas, sinais e como lidar 

    Voltar para o blog

    Deixe um comentário

    Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.