Lista de Material Escolar: O que pode e o que não pode ser pedido?

Lista de Material Escolar: O que pode e o que não pode ser pedido?

Entender o que é permitido ou na lista de material escolar dos seus filhos  é fundamental por diversas razões. 

Primeiramente, assegura que todos os alunos possuam as ferramentas necessárias para uma aprendizagem eficaz, garantindo uniformidade e igualdade de oportunidades. 

Além disso, evita gastos desnecessários por parte dos pais ou responsáveis, que por vezes são confrontados com listas extensas e custosas.

Portanto, compreender a dinâmica e a importância da lista de material escolar exigida pela escola dos seus filhos é crucial para pais e responsáveis, educadores e para o sistema educacional como um todo. 

Assim, ao avaliar critérios como relevância, necessidade e custo-benefício dos materiais listados, as famílias podem garantir que a educação das crianças esteja alinhada não apenas com as suas possibilidades financeiras, mas também com os objetivos pedagógicos e regulamentações atuais. Vamos lá? 

O que é proibido na lista de material escolar segundo a Legislação Educacional Brasileira?

De acordo com as normativas estabelecidas pela Legislação Educacional Brasileira, certos itens são estritamente proibidos de constar na lista de material escolar solicitada pelas instituições de ensino.

 Essas regras foram criadas para assegurar que as despesas com educação das famílias não sejam exacerbadas por requisições injustificadas ou pela transferência de obrigações que cabem às escolas. Eis o que não pode ser exigido:

  • Materiais de uso coletivo: Produtos de limpeza, como álcool e papel higiênico, ou de escritório, a exemplo de fitas adesivas e cartuchos para impressora, não devem compor a lista. Eles são considerados custos operacionais da escola.
  • Taxas para suprir gastos gerais: A lista de material escolar não pode incluir cobranças para manutenção do prédio, contas de consumo, ou remuneração de funcionários.
  • Itens de marca específica: É proibido exigir que os produtos sejam de uma marca particular, dando liberdade para as famílias escolherem aquelas que melhor atendam o seu orçamento.
  • Quantidades abusivas: A escola não pode solicitar materiais em quantidade maior do que seria razoavelmente usado pelo aluno durante o ano letivo.
  • Materiais de escritório não educativos: Itens como pastas, envelopes e etiquetas adesivas, que não têm finalidade didática, também não podem ser incluídos.
  • Livros didáticos em escolas públicas: No setor público, os livros didáticos devem ser fornecidos gratuitamente por meio de programas governamentais.

Ao preparar a lista de material escolar, os estabelecimentos de ensino devem aderir às diretrizes legais para garantir que o foco seja exclusivamente nos recursos necessários para a aprendizagem e desenvolvimento dos estudantes. 

Desse modo, pais e responsáveis têm o direito de questionar e denunciar à Secretaria de Educação qualquer pedido que considere abusivo ou ilegal.

lista de material escolar: o que pode?

Itens permitidos: O que pode ser pedido pela escola?

Ao preparar a lista de material escolar, é fundamental conhecer os itens que as escolas estão autorizadas a solicitar aos pais ou responsáveis. 

Esses materiais, geralmente utilizados pelas crianças e adolescentes durante o ano letivo, são considerados essenciais para a realização das atividades pedagógicas. Podendo incluir: 

  • Materiais de uso individual, como cadernos, lápis, borracha, canetas, lápis de cor, giz de cera, tesoura sem ponta, cola, régua, esquadro, compasso e transferidor.
  • Agenda escolar fornecida pela instituição, com o objetivo de manter a comunicação entre a escola e a família.
  • Materiais de artes, desde que utilizados nas atividades desenvolvidas pelos alunos, como papel A4 e cartolina, tinta guache, pincéis e massinha de modelar.
  • Papel para impressão e fotocópias, desde que em quantidades razoáveis e para uso próprio do aluno.
  • Livros e apostilas que fazem parte do projeto pedagógico do estabelecimento de ensino.
  • Uniformes escolares, quando de uso obrigatório e definido pela instituição.

É importante salientar que a escola não pode exigir marcas específicas, nem determinar locais onde os itens devem ser adquiridos

Assim como também não está permitido solicitar materiais de uso coletivo, como produtos de limpeza e higiene, ou itens que se destinam ao uso administrativo e de infraestrutura da escola.

Portanto, os responsáveis têm liberdade de escolher onde comprar os materiais, considerando preço e qualidade. 

De modo que orienta-se que os pais verifiquem se a escola segue as diretrizes do Procon no que diz respeito à lista de material escolar, assegurando que os pedidos estejam dentro das normas vigentes.

Material de uso coletivo: Entendendo as restrições

Quando se trata de material de uso coletivo, existem diretrizes claras que determinam o que escolas podem ou não solicitar aos pais. Esses itens são de responsabilidade da instituição, pois são utilizados pelo coletivo da escola e não estão ligados diretamente à atividade educacional individual do aluno.

O que não é permitido incluir na lista de material escolar:

  • Materiais de limpeza, higiene ou alimentação, tais como álcool, papel higiênico, detergente ou copos e pratos descartáveis.
  • Itens de uso administrativo, como toner para impressora, papel para uso da secretaria ou itens de escritório não relacionados à atividade didática.
  • Taxas para suprir despesas com água, luz ou telefone da instituição.

Itens que podem ser solicitados com restrições:

  • Apostilas ou livros elaborados pela própria escola somente podem ser requeridos se não forem cobrados separadamente da anuidade.
  • O pedido de material de uso coletivo em creches e pré-escolas é permitido, desde que esteja claramente especificado no contrato de prestação de serviços.

É importante que as escolas sigam as normativas do Procon e da Lei 12.886/2013, que proíbem a exigência de materiais de uso coletivo. 

E os responsáveis pelos alunos têm o direito de questionar a escola caso percebam itens inapropriados na lista de material escolar e podem reportar ao Procon caso as solicitações estejam em descumprimento com a lei.

lista de material escolar: o que pode e o que não pode ser pedido?

Como contestar pedidos irregulares na lista de materiais escolares?

Ao se deparar com pedidos irregulares na lista de materiais escolares, é importante tomar algumas medidas para contestar esses itens de forma respeitosa e eficaz. 

Em primeiro lugar, é necessário identificar quais são os itens irregulares, ou seja, aqueles que não estão de acordo com as disposições legais ou as práticas aceitas.

  • Reconheça os Itens Irregulares

Verifique a lista de materiais com base nas normativas do Procon e da Lei nº 12.886/2013, que proíbe a cobrança de materiais de uso coletivo.


  • Informe-se Sobre o Processo de Contestação

Cada instituição pode ter um procedimento específico para recebimento de contestações. Informe-se sobre esse processo na secretaria da escola.


  • Elabore uma contestação formal

Redija uma carta ou e-mail formal direcionado à direção da escola. Seja claro, objetivo e educado, especificando os itens da lista que considera irregulares.


  • Evidencie normas e Leis

Baseie-se na legislação vigente que diz respeito à lista de materiais. Cite as normas e leis aplicáveis ao caso para reforçar a sua contestação.


  • Solicite um encontro com a escola

Se necessário, solicite uma reunião com os responsáveis pela elaboração da lista para discutir pessoalmente a questão.


  • Converse com outros pais da escola 

Busque  conversar com outros pais e responsáveis para que, se concordarem, façam a contestação em grupo.


  • Considere procurar Órgãos de Defesa do Consumidor

Se não houver avanço na negociação com a escola, considere procurar órgãos de defesa do consumidor, como o Procon, para obter orientações adicionais ou mesmo formalizar uma denúncia.

Concluindo o assunto

Agora você já sabe! Se a lista de material escolar dos seus filhos veio com itens que não parecem ser de uso exclusivo das crianças, tente entender, questione e busque os seus direitos. Lembre-se que a Legislação Brasileira e Procom estão do seu lado! 

E por aí? Como está a lista de material escolar esse ano, maior ou menor do que a do ano passado?  

Leia também: [GUIA] Problemas de visão na infância: Da miopia ao olho preguiçoso 

As 5 atividades extracurriculares mais indicadas para crianças até 7 anos 

Deixe um comentário

Obs: Os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados.

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.