Tudo sobre Ceratocone: Causas, Sintomas e Tratamentos

Tudo sobre Ceratocone: Causas, Sintomas e Tratamentos

Você já imaginou acordar todos os dias com a sensação de ter areia nos olhos, visão embaçada e dificuldade para enxergar claramente? Infelizmente, essa é a realidade para muitas pessoas que sofrem de uma condição ocular chamada ceratocone.

O ceratocone é uma doença degenerativa que afeta a córnea, a parte transparente e protetora do olho, provocando mudanças na sua forma e comprometendo a visão.

Mas o que exatamente é essa condição? Quais são as suas causas, sintomas e tratamentos disponíveis? Neste artigo, iremos nos aprofundar nos detalhes, trazendo informações relevantes para ajudar a entender melhor essa doença e como lidar com ela! 

O que é o ceratocone

O ceratocone é uma doença ocular progressiva que afeta a córnea, a camada transparente e protetora localizada na frente do olho. Nesta condição, a córnea começa a afinar e se curvar para fora, adotando uma forma cônica em vez da forma normal de cúpula. Isso pode levar a uma série de problemas visuais, como visão embaçada, sensibilidade à luz e distorção visual.

Causas do ceratocone

Embora não se saiba exatamente o que causa o ceratocone, acredita-se que haja uma combinação de fatores genéticos e ambientais. Alguns estudos mostraram que pessoas com histórico familiar de ceratocone têm maior risco de desenvolver a doença.

Além disso, certos fatores ambientais, como esfregar muito os olhos com força, alergias oculares e exposição crônica a irritantes oculares, também podem contribuir para o desenvolvimento do ceratocone.

Sintomas do ceratocone

Os sintomas do ceratocone podem variar de leves a graves e podem progredir ao longo do tempo. Alguns dos sintomas mais comuns incluem:

  • Visão embaçada ou distorcida: a visão pode ficar turva, com distorção de formas e linhas retas parecendo encurvadas ou onduladas.
  • Sensibilidade à luz: muitas pessoas com ceratocone se tornam sensíveis à luz, experimentando desconforto em ambientes claros ou sob luz intensa.
  • Visão noturna deficiente: devido à deformação da córnea, a visão noturna pode ser prejudicada, tornando mais difícil enxergar em condições de pouca luz.
  • Coceira e irritação dos olhos: algumas pessoas com ceratocone podem experimentar coceira e irritação crônicas nos olhos, devido ao atrito da córnea com a pálpebra.

 

ceratocone: o que é?

Tratamentos para o ceratocone

Existem várias opções de tratamento disponíveis para o ceratocone, dependendo da gravidade da condição. Alguns dos tratamentos mais comuns incluem:

  • Lentes de contato especiais: em estágios iniciais do ceratocone, lentes de contato rígidas gás-permeáveis podem ser usadas para corrigir a visão e manter a forma da córnea. Em casos mais avançados, lentes de contato esclerais ou semi-esclerais podem ser recomendadas.
  • Crosslinking corneano: um procedimento no qual a córnea é exposta a luz ultravioleta e riboflavina para fortalecer suas fibras colágenas e retardar a progressão do ceratocone.
  • Implante de anel corneano: nesse procedimento, pequenos anéis de plástico são inseridos na córnea para remodelar sua forma e melhorar a visão.
  • Transplante de córnea: em casos graves de ceratocone que não respondem a outros tratamentos, um transplante de córnea pode ser necessário. Nesse procedimento, a córnea afetada é substituída por uma córnea saudável de um doador.

De qualquer modo, é importante consultar um oftalmologista para um diagnóstico adequado e discutir as opções de tratamento mais adequadas para cada caso de ceratocone.

Já que com o tratamento adequado, muitas pessoas com ceratocone podem ter seus sintomas controlados e uma qualidade de vida melhorada.

 

ceratocone

 

Causas do ceratocone

Embora a causa exata do ceratocone ainda não seja completamente compreendida, existem algumas teorias e fatores que podem contribuir para o seu desenvolvimento. Confira algumas das possíveis causas do ceratocone:

Fatores genéticos

Estudos têm mostrado que fatores genéticos desempenham um papel importante no desenvolvimento do ceratocone. Acredita-se que exista uma predisposição genética que torna algumas pessoas mais suscetíveis a desenvolver a doença. 

Portanto, se houver histórico familiar de ceratocone, o risco de desenvolvê-lo é maior.

Desordens da matriz colágena

Outra possível causa do ceratocone está relacionada a desordens da matriz colágena, que é uma substância responsável pela estrutura e força dos tecidos do corpo.

Algumas condições genéticas, como a síndrome de Ehlers-Danlos, estão associadas a alterações na produção ou estrutura do colágeno, o que pode levar ao afinamento da córnea e ao desenvolvimento do ceratocone.

Ação enzimática

Acredita-se também que algumas enzimas presentes no olho possam desempenhar um papel no desenvolvimento do ceratocone. Essas enzimas podem enfraquecer a estrutura da córnea, levando ao afinamento e à deformação cônica.  

Entretanto, mais pesquisas são necessárias para compreender melhor essa relação.

Atrito no olho

Há evidências de que o atrito excessivo na superfície da córnea pode contribuir para o desenvolvimento do ceratocone. 

Pois, o ato de esfregar os olhos constantemente ou usar lentes de contato inadequadas pode causar pressão e atrito na córnea, o que pode levar ao afinamento e à deformação.

Fatores ambientais

Embora os fatores ambientais ainda não estejam completamente esclarecidos, eles também podem desempenhar um papel no desenvolvimento do ceratocone.

De modo que a exposição prolongada à luz ultravioleta, alergias oculares crônicas e o hábito de coçar os olhos podem ser fatores desencadeantes que contribuem para o surgimento da doença.

É importante ressaltar que ainda são necessárias mais pesquisas para se ter uma compreensão completa e definitiva das causas dessa condição ocular.

Agora que exploramos as possíveis causas do ceratocone, vamos passar para a próxima seção para discutir os sintomas associados a essa doença ocular? 

Sintomas do ceratocone

Os sintomas do ceratocone geralmente começam a se manifestar na adolescência ou nos primeiros anos da idade adulta e podem piorar com o tempo. Alguns dos sintomas mais comuns incluem:

  1. Visão embaçada ou distorcida: Muitas pessoas com ceratocone experimentam uma visão embaçada ou distorcida, mesmo com correção visual. Isso ocorre devido à irregularidade na forma da córnea, que afeta a maneira como a luz é focada na retina.
  2. Sensibilidade à luz: O ceratocone pode causar sensibilidade aumentada à luz, conhecida como fotofobia. Os olhos podem ficar desconfortáveis ​​ou irritados quando expostos à luz intensa, como a luz do sol ou luzes brilhantes.
  3. Visão noturna prejudicada: Muitas pessoas com ceratocone relatam dificuldades para enxergar à noite, sofrendo de visão diminuída e halos ao redor de fontes de luz. Isso ocorre devido às irregularidades na córnea que afetam a forma como a luz é dispersa.
  4. Mudanças frequentes na prescrição dos óculos ou lentes de contato: À medida que o ceratocone progride, a forma e a espessura da córnea continuam mudando, o que pode exigir alterações frequentes na prescrição de óculos ou lentes de contato para manter uma visão adequada.
  5. Coceira e irritação nos olhos: Algumas pessoas com ceratocone podem experimentar sintomas oculares, como coceira, irritação e vermelhidão. Isso pode ser devido à irritação da córnea causada pelo atrito com lentes de contato ou pelo aumento da sensibilidade ocular.

 

olhos vermelhos ceratocone

 

É importante ressaltar que os sintomas do ceratocone podem variar de pessoa para pessoa e podem progredir lentamente ao longo do tempo. 

Assim, caso você identifique algum desses sintomas, recomenda-se consultar um oftalmologista para uma avaliação diagnóstica adequada.

Tratamentos para o ceratocone

Existem diferentes opções de tratamento disponíveis para o ceratocone, que variam de acordo com a gravidade da doença e a tolerância do paciente a certos procedimentos. Alguns dos tratamentos mais comuns incluem:

  1. Óculos ou lentes de contato: No estágio inicial do ceratocone, óculos ou lentes de contato especiais podem ser suficientes para corrigir a visão. Essa opção é menos invasiva e tende a ser a primeira linha de tratamento para muitas pessoas. As lentes de contato são especialmente projetadas para se adequar à forma irregular da córnea e proporcionar uma melhor visão.
  2. Crosslinking corneano: O crosslinking corneano é um procedimento que tem como objetivo fortalecer a córnea e interromper a progressão do ceratocone. Envolve a aplicação de riboflavina (vitamina B2) na córnea e exposição à luz ultravioleta. Este tratamento causa uma ligação extra entre as fibras de colágeno da córnea, tornando-a mais rígida e pode ajudar a evitar a necessidade de transplante de córnea em casos mais avançados.
  3. Anéis intraestromais: Os anéis intraestromais são pequenos segmentos plásticos que são implantados na córnea. Eles ajudam a remodelar a forma da córnea, melhorando a visão para pacientes com ceratocone. Esses anéis podem ser removidos ou ajustados conforme necessário.
  4. Transplante de córnea: Em casos mais avançados de ceratocone, quando outros tratamentos não são eficazes, pode ser necessário realizar um transplante de córnea. Neste procedimento, a córnea do paciente é substituída por uma córnea doadora saudável. O transplante de córnea pode restaurar significativamente a visão, mas é considerado uma opção mais invasiva e tem um tempo de recuperação mais longo.
  5. Lentes de contato esclerais: Para aqueles que não são candidatos ao transplante de córnea ou que desejam evitar a cirurgia, as lentes de contato esclerais podem ser uma opção viável. Essas lentes são maiores do que as lentes de contato convencionais e se apoiam na esclera (parte branca do olho), proporcionando correção visual melhorada em pacientes com ceratocone avançado.

Prevenção e cuidados para o ceratocone

A prevenção do ceratocone é fundamental para evitar o agravamento da condição e a necessidade de tratamentos mais invasivos. Existem algumas medidas que podem ser adotadas para minimizar os riscos de desenvolvimento ou progressão do ceratocone. Conheça abaixo as orientações mais úteis:

  1. Visitas regulares ao oftalmologista: é recomendável fazer consultas de rotina com um oftalmologista, principalmente se houver histórico familiar de ceratocone. Exames oftalmológicos periódicos possibilitam a detecção precoce da doença, permitindo um tratamento mais eficaz.
  2. Evitar coçar os olhos: a fricção frequente dos olhos pode contribuir para o enfraquecimento da córnea e aumentar o risco de desenvolvimento do ceratocone. Portanto, é importante conscientizar-se sobre a importância de não coçar os olhos.
  3. Utilizar óculos de proteção: em atividades esportivas ou situações de maior exposição a agentes externos, como poeira e vento, é recomendável o uso de óculos de proteção. Essa medida pode ajudar a prevenir lesões oculares que podem desencadear ou agravar o ceratocone.
  4. Evitar o uso excessivo de lentes de contato: o uso adequado e consciente das lentes de contato é importante para a saúde ocular. É fundamental seguir as orientações do oftalmologista quanto ao tempo de uso, limpeza e descarte adequado das lentes. Pessoas com predisposição ao ceratocone devem estar atentas e consultar o especialista sobre o tipo de lente mais indicado para seu caso.
  5. Proteção solar: proteger os olhos contra os raios ultravioleta (UV) é essencial na prevenção de várias doenças oculares, incluindo o ceratocone. O uso de óculos de sol com proteção UV adequada é recomendado, principalmente em ambientes externos e sob a exposição direta ao sol.
  6. Alimentação equilibrada: uma dieta rica em nutrientes essenciais, como vitaminas C e E, zinco e ômega-3, pode contribuir para a saúde ocular. Alguns alimentos que podem ser incluídos na dieta são frutas cítricas, vegetais de folhas verdes, peixes ricos em ômega-3 e nozes.
  7. Evitar o uso excessivo de telas digitais: o uso prolongado de dispositivos eletrônicos, como celulares, tablets e computadores, pode causar fadiga ocular e irritação. É recomendável fazer pausas regulares e manter uma distância adequada entre os olhos e a tela para reduzir o esforço ocular.
  8. Manter um estilo de vida saudável: adotar hábitos de vida saudáveis, como praticar atividades físicas regulares, evitar o tabagismo e controlar o estresse, pode contribuir para a saúde geral do organismo, inclusive a saúde ocular.

 

mulher no oftalmologista

Concluindo 

Embora seja uma condição rara, que atinge uma pessoa a cada duas mil, o ceratocone é uma condição permanente e que pode dificultar bastante a vida do indivíduo. 

E, mesmo que as suas causas ainda não sejam totalmente conhecidas, os tratamentos para esta condição estão bem avançados e atendem aos mais diferentes estágios de avanço dessa condição. 

De qualquer forma, adotar hábitos mais saudáveis e visitar o oftalmologista regularmente, continua fundamental tanto para um diagnóstico precoce quanto para intervenções médicas que precisam ser feitas, permitindo uma visão nítida e mais saudável mesmo quando em meio a adversidades. 

O que você achou de conhecer mais sobre o ceratocone? Nos ajude compartilhando esta matéria para que mais pessoas possam também possam conhecer. Basta clicar no botão aqui embaixo!

Deixe um comentário

Obs: Os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados.

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.