Meu filho tem TDAH ou apenas energia de sobra?

Meu filho tem TDAH ou apenas energia de sobra?

Crianças ativas com frequência exibem uma energia abundante, deixando muitos pais e educadores em dúvida se tal vivacidade é uma característica natural da infância ou se pode indicar algo mais, como o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). Para discernir entre esses dois espectros, torna-se fundamental entender as peculiaridades de cada comportamento.

Pois, compreender a linha que separa o comportamento típico de crianças ativas e o TDAH requer uma observação cuidadosa e, muitas vezes, a intervenção de profissionais. 

Desse modo, a avaliação precisa incluir não apenas o comportamento atual, mas também a sua constância, a intensidade e o impacto nas atividades diárias da criança. 

Somente assim é possível determinar se a energia manifestada é parte de seu desenvolvimento normal ou um sinal de TDAH. Para entender, continue lendo! 

Entendendo o TDAH: Definição e sintomas

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é uma condição neurobiológica caracterizada por um padrão permanente de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade que interfere no funcionamento ou no desenvolvimento. Geralmente é identificado na infância e muitas vezes persiste na vida adulta.

Os sintomas do TDAH são divididos principalmente em dois grupos:

Desatenção

  • Dificuldade em manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas
  • Erros por descuido em trabalhos escolares ou outras atividades
  • Dificuldade em seguir instruções e falha em completar tarefas escolares ou obrigações
  • Problemas em organizar tarefas e atividades
  • Esquecimento frequente em atividades diárias
  • Facilmente distraído por estímulos alheios à tarefa

Hiperatividade e Impulsividade

  • Inquietação frequente, dificuldade em permanecer sentado em situações em que se espera quietude
  • Correr ou escalar em situações inapropriadas
  • Incapacidade de brincar ou se envolver em atividades de lazer de forma tranquila
  • Falar em excesso
  • Respostas precipitadas antes das perguntas serem concluídas
  • Dificuldade em aguardar sua vez ou respeitar o espaço e a vez dos outros

Desse modo, é importante ressaltar que todos os indivíduos podem apresentar alguns destes sintomas ocasionalmente, mas no TDAH, são mais graves, ocorrem com mais frequência e afetam a capacidade de função social, escolar ou ocupacional da criança ou do adulto.

Diagnósticos precisos e feitos por profissionais especializados são fundamentais para o devido acompanhamento e tratamento.

 

meu filho tem tdah?

Características comuns de crianças apenas ativas

Crianças notadamente ativas costumam apresentar um conjunto de características que as distinguem de outras que possam ter Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). 

Entender essas particularidades é fundamental para pais e educadores não confundirem uma com a outra. Lembre-se de que a energia em excesso é uma fase natural da infância e diferente de um transtorno comportamental. 

Nesse contexto, uma criança que é apenas ativa pode apresentar:

  • Energia abundante: Crianças puramente ativas têm reservatórios amplos de energia que as impulsionam a uma constante busca por movimento e jogo.
  • Fácil distração: Sem o peso de um transtorno, essas crianças podem se distrair facilmente com novos estímulos, porém, conseguem retornar ao foco inicial sem maiores dificuldades.
  • Adaptação a rotinas: A criança apenas ativa é capaz de se adaptar a rotinas e seguir instruções quando necessário, apesar de sua natureza inquieta.
  • Movimento intencional: Enquanto crianças com TDAH frequentemente movem-se ou fidget de maneira não intencional, crianças apenas ativas geralmente têm um propósito claro em suas ações físicas.
  • Respostas controladas: A capacidade de controlar respostas emocionais e comportamentais diante de delimitações é mais presente. Elas podem exibir frustração ou desapontamento, mas dentro de um espectro considerado normal para sua idade.
  • Boa concentração em tarefas de interesse: Quando algo efetivamente chama a atenção da criança, ela consegue se concentrar e envolver-se profundamente na atividade.
  • Momentos de calma: As crianças ativas também possuem momentos de calmaria, onde podem se engajar em atividades menos vigorosas como ler ou construir com blocos.
  • Relacionamentos sociais: Geralmente, não apresentam dificuldades significativas em formar e manter laços sociais, ajustando-se bem a diferentes grupos de pares.

Assim, é fundamental notar que cada criança é única e que algumas podem demonstrar uma mistura de traços mencionados acima, portanto, a observação contínua e a comunicação com profissionais são indispensáveis para definir se o comportamento da criança está dentro da normalidade do seu desenvolvimento ou se indica a necessidade de uma avaliação mais detalhada quanto à presença de TDAH ou outro transtorno.

 

hiperatividade infantil

Critérios de diagnóstico para TDAH segundo especialistas

 Para o diagnóstico desse transtorno, especialistas se baseiam em critérios bem definidos.

Esses critérios estão descritos no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), publicado pela Associação Americana de Psiquiatria. São eles: 

  • Presença de sintomas: São considerados problemas com atenção, hiperatividade e impulsividade. No caso de crianças, estes devem ser observados antes dos 12 anos de idade.
  • Persistência dos sintomas: Estes devem estar presentes por pelo menos 6 meses e ser inconsistentes com o nível de desenvolvimento da criança.
  • Várias configurações: O comportamento deve acontecer em dois ou mais ambientes — por exemplo, na escola e em casa.
  • Comprometimento social e escolar: Os sintomas devem interferir significativamente ou reduzir a qualidade do funcionamento social, acadêmico ou ocupacional.
  • Exclusão de outras condições: Os sintomas não devem ser explicáveis por outros distúrbios mentais ou condições médicas.

Para um diagnóstico preciso, os especialistas realizam uma avaliação compreensiva que pode incluir:

  • Histórico clínico completo: Avaliação da história de desenvolvimento da criança e seu comportamento em diferentes contextos.
  • Questionários e checklists: Usados para avaliar a frequência e gravidade dos sintomas.
  • Avaliações psicológicas e educacionais: Pode envolver testes de QI, habilidades de aprendizagem e outras avaliações de funcionamento executivo.
  • Feedback de pais e professores: Informações fundamentais para entender o comportamento da criança em diferentes situações.

Portanto, é fundamental consultar um profissional qualificado para obter um diagnóstico correto e recomendações de tratamento mais adequado. 

O impacto do TDAH na vida escolar e social da criança

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) pode ter repercussões significativas no desenvolvimento escolar e social de uma criança. Este impacto manifesta-se de várias maneiras:

  • Dificuldades de aprendizado: Uma criança com TDAH pode ter dificuldade em manter a atenção durante as aulas, frequentemente distraída por estímulos externos ou pensamentos internos. Isso pode levar a lacunas no aprendizado e dificuldade em seguir instruções ou concluir tarefas.
  • Gestão do tempo e organização: Alunos com TDAH muitas vezes lutam com a organização das suas atividades e a gestão do tempo, o que pode resultar em trabalhos escolares perdidos ou entregues após o prazo.
  • Relações sociais: O TDAH pode afetar as habilidades sociais, fazendo com que as crianças tenham dificuldade em estabelecer e manter amizades. Seu comportamento, muitas vezes impulsivo e hiperativo, pode ser mal interpretado por colegas e adultos, levando a conflitos e incompreensão.
  • Comportamento em sala de aula: A hiperatividade e a impulsividade podem resultar em comportamentos que interrompem a sala de aula, dificultando a educação da própria criança e de seus colegas.
  • Autoestima e autoimagem: Enfrentar constantes desafios acadêmicos e sociais pode levar a uma baixa autoestima em crianças com TDAH. Elas podem começar a ver a si mesmas de forma negativa, o que pode afetar sua motivação e disposição para enfrentar novos desafios ou se envolver em atividades sociais.

De modo que é essencial que pais e professores reconheçam esses desafios associados ao TDAH e busquem estratégias personalizadas e apoio adequado para ajudar a criança tanto no ambiente escolar quanto em situações sociais.

 

hiperatividade - tdah infantil

Avaliações profissionais e diagnóstico: Quando buscar ajuda?

Como você pode ver, identificar a diferença entre um comportamento tipicamente enérgico e o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) não é tarefa simples.

Entretanto, existe uma linha que separa a vivacidade infantil das características persistentes do TDAH. Quando os pais ou responsáveis observam que o comportamento do filho está interferindo significativamente em seu desenvolvimento acadêmico, social ou emocional, é fundamental buscar orientação profissional.

Os especialistas indicam que é hora de buscar ajuda profissional quando:

  • O comportamento da criança se mostra inconsistente com a faixa etária e ocorre com frequência.
  • Tais comportamentos são observados em múltiplos ambientes, como na escola e em casa.
  • A criança demonstra dificuldades persistentes em manter a atenção, seguir instruções e completar tarefas.
  • Sintomas de hiperatividade e impulsividade estão claramente impactando as interações sociais e o aprendizado.
  • O comportamento está causando estresse significativo para a criança ou para a família.

Para realizar um diagnóstico preciso, é importante consultar um psicólogo, pediatra ou psiquiatra especializado em TDAH.

Esses profissionais utilizam critérios clínicos estabelecidos pelo DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais) ou pela CID-10 (Classificação Internacional de Doenças) para avaliar a criança. Eles podem também empregar:

  • Entrevistas clínicas com os pais e a criança.
  • Questionários e escalas de avaliação comportamental.
  • Observações da criança em diferentes configurações.
  • Avaliação do histórico escolar e médico da criança.

O diagnóstico correto é vital para o desenvolvimento de um plano terapêutico adequado, podendo incluir terapia comportamental, aconselhamento parental, intervenções escolares e, em alguns casos, medicação.

Assim, reconhecer a necessidade de buscar apoio é o primeiro passo para assegurar que a criança receba a assistência necessária para prosperar plenamente em seu desenvolvimento. 

Conclusão: Promovendo o bem-estar da criança independente do diagnóstico

O diagnóstico de TDAH pode ser um processo complexo e multifacetado, que deve ser tratado com cuidado e atenção por profissionais qualificados.

Entretanto, independente de um diagnóstico formal de TDAH ou não, é fundamental que pais e educadores foquem na promoção do bem-estar global da criança com atitudes dais como: 

  • Estabelecer uma rotina estruturada, oferecendo à criança um ambiente previsível e estável.
  • Incentivar práticas que promovam o autocontrole e a autorregulação, por meio de atividades lúdicas que incentivam a concentração e a paciência.
  • Garantir que o tempo para o brincar e para atividades físicas seja respeitado, pois esses são componentes essenciais para o desenvolvimento saudável.
  • Promover uma comunicação eficaz entre a família e a escola, para assegurar a continuidade dos métodos e estratégias aplicados em ambos os ambientes.
  • Assegurar que a criança receba uma alimentação equilibrada e um sono adequado, fundamentais para o seu desenvolvimento cognitivo e emocional.

Além disso, é importante que adultos estejam atentos a todas as necessidades das crianças, que vão além dos comportamentos hiperativos ou desatentos.

Já que a criança deve ser compreendida em sua totalidade, considerando seu bem-estar emocional, social e físico.

Nesse contexto, uma abordagem holística e inclusiva é essencial para proporcionar um suporte robusto à criança, permitindo que ela desenvolva ao máximo seu potencial.

Afinal, independentemente de haver um diagnóstico de TDAH, promover ambientes acolhedores e estimulantes é a melhor maneira de assegurar o desenvolvimento saudável e feliz de qualquer criança! 

Leia também: 

TDAH em crianças: Características, sintomas e tratamentos 

Descubra se seu filho pode ter TDAH em 2 minutos! 

Quer receber mais matérias como esta? Deixe seu e-mail abaixo e receba em primeira mão! 

Deixe um comentário

Obs: Os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados.

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.